Uma história de superação


A Apabb foi criada em 8 de agosto de 1987 por um grupo de funcionários da Agência Centro do Banco do Brasil, em São Paulo. Todos enfrentavam um desafio comum: eram pais de crianças que precisavam de tratamento e cuidados especiais.
 
O grupo começou a se reunir em meados de 1986 para trocar ideias, experiências e informações. Os encontros aconteciam na casa de um dos fundadores e giravam em torno do papel que uma entidade voltada para as pessoas com deficiência desempenharia e como deveria ser a atuação de seus integrantes.
 
O apoio mútuo era essencial para romper com o isolamento e criar novas alternativas. Na fase inicial, as reuniões permitiam a troca de experiências, procedimentos e indicações educacionais, médicas e terapêuticas. Ao mesmo tempo, esses encontros foram consolidando uma prática solidária e profícua.
 
Quando foi fundada, a Apabb recebeu o nome de Associação de Pais e Amigos de Pessoas Portadoras de Deficiência dos Funcionários do Banco do Brasil. Mais tarde a denominação mudou para
Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade, para abarcar a crescente participação da comunidade nas atividades da Organização.
 
 
Disseminação
À medida que a notícia de sua existência se espalhava, outros funcionários do Banco do Brasil começaram a se aproximar, em busca de informações. As reuniões passaram então a receber mais participantes, que além de colaborarem com novas sugestões, estavam dispostos a trabalhar para fazer o movimento avançar.
 
A iniciativa bem sucedida de São Paulo fez surgir núcleos em várias regiões do país, a partir de 1991. O primeiro deles foi o do Ceará. Hoje a Associação conta com 14 núcleos regionais.
 
Na medida em que a Apabb se firmava como entidade voltada à inclusão social das pessoas com deficiência, três programas começaram a tomar corpo: o de Atenção à Família, de Lazer e de Esporte. Mais tarde surgiu o Programa de Capacitação, estimulado por conquistas sociais que possibilitavam a inserção das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.
 
Em fevereiro de 1997, a Associação tornou-se oficialmente de utilidade pública federal, recebendo, em 15 de maio 1998, o certificado de entidade com fins filantrópicos. Sua atuação na defesa dos direitos das pessoas com deficiência consolidou-se ainda mais quando passou a integrar a bancada da sociedade civil no Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Conade, representando o segmento das múltiplas deficiências.