Apabb RJ promove GAF sobre Saúde Acessível


Publicado em: 06/11/2017

No dia 25 de outubro, a Apabb NR RJ realizou um encontro do Grupo de Apoio às Famílias (GAF), iniciando a série “Saúde Acessível”. 
 
O evento contou com a apresentação da professora do Instituto de Nutrição da UERJ, Jorginete Damião, para introduzir o tema da Alimentação Saudável. Ela e suas estagiárias Brenda, Jéssica, Andressa e Lorena, montaram um material especial para o encontro, baseado no Guia Alimentar para a População Brasileira. 
 
Com o objetivo de sensibilizar os participantes sobre o desconhecimento da natureza dos alimentos consumidos cotidianamente, as estudantes realizaram uma dinâmica. Baseando-se nas falas espontâneas, ilustraram os graus de componentes químicos presentes nos produtos industrializados, que acabam por ser intencionalmente invisibilizados pelas campanhas de marketing, via design das embalagens e mensagens veiculadas, por exemplo. É o caso de propagandas conotam a “otimização de tempo”, através do consumo de refeições de cozimento rápido. No entanto, estes produtos consumidos em larga escala, em função do preço acessível, provocam o aumento de indicativos de doenças crônicas, dentre outras. 
 
Divanete comentou que ela e sua família, quando moravam no Nordeste, somente comiam o que plantavam e/ou criavam. Cultura que, segundo ela, favorecia a saúde, e a disposição física para as atividades intensas do dia-a-dia típico do meio rural. 
 
Bruno Santos, atleta Apabb, participante do Projeto Movimento, fez questão de mencionar que gosta muito de cozinhar, e que dá preferência aos cardápios caseiros, sem tantos industrializados. Embora, ainda não tenha conseguido abolir o consumo de refrigerantes e embutidos de sua dieta. 
 
Por fim, tanto a professora Jorginete, quanto a assistente social Roberta, reforçaram que a alimentação é um direito, ainda garantido por lei. E que, justo por isso, se faz necessário que tal direito seja exercido com qualidade. Não é qualquer tipo de alimentação que deve ser oferecida à população, pois existem alternativas viáveis de levar saúde aos segmentos mais vulneráveis. Foi dado o exemplo das feiras orgânicas semanais que ocorrem na UERJ. Através delas, se tenta fortalecer os pequenos produtores locais e incentivar a comunidade a melhorar seu cardápio com alimentos de melhor qualidade e mais acessíveis em termos de custos. 
 
A Apabb RJ agradece ao Instituto de Nutrição da Uerj, à Profª Jorginete e suas alunas, às pessoas com deficiência e familiares pela participação.